BRADO

BRADO - transportadora de Contêineres

BRADO

BRADO - transportadora de Contêineres

Celena assina projeto de iluminação em Terminal Multimodal da Brado

 

Quem mora perto de uma estrada de ferro sabe, mesmo sem ver, quando o trem de carga está passando. Mas, para quem trabalha operando contêineres com mais de 20 toneladas, escutar a composição não é o suficiente. O contato visual preciso e acurado é fundamental para garantir a segurança e desempenho. É exatamente por isso que o Terminal Intermodal da Brado, em Sumaré, interior de São Paulo, recebeu uma iluminação completamente nova desenvolvida pela Celena.

Considerada referência na logística de contêineres, a Brado, empresa do grupo Cosan, possui 20 instalações entre escritórios, armazéns, recintos alfandegários e terminais multimodais. Um dos destaques é justamente o Terminal de Sumaré, localizado na intersecção das ferrovias mais importantes do país (Rumo ALL, MRS e VLI) e com capacidade para 4.000 TEUS.

“Eles precisavam ampliar a operação daquele terminal, mas tinham um sério problema de escuridão”, lembra Ricardo Cricci, diretor comercial da Celena. “Então, nós tivemos que fazer um projeto não apenas para garantir a segurança, mas sim aumentar a produtividade do complexo.”

Detalhes do projeto

Como um total de 75 mil m², o projeto foi dividido em duas áreas distintas: a via férrea auxiliar, para carga e descarga, e o pátio de armazenamento de contêineres.

“Esse é um projeto que chamamos de turn key, ou seja, nós nos comprometemos não apenas com o fornecimento do material, mas também somos os responsáveis pela instalação”, destaca Cricci.

Como a área da linha férrea secundária contava com um quilômetro de extensão, a solução encontrada para atingir a luminância adequada foi a instalação de 20 postes. Cada estrutura, de 15 metros de altura, recebeu três projetores modulares de alto fluxo LED de 300W, totalizando 60 peças instaladas.

A maior parte do desafio, porém, estava na área determinada como pátio para manobras e armazenamento dos contêineres. Para garantir a iluminação adequada, o projeto luminotécnico desenvolvido pela Celena indicou que as torres das luminárias deveriam ter 35 metros de altura.

“A instalação de um poste de 35 metros não é algo simples, é preciso uma estrutura ainda mais alta”, comenta o diretor. “Nessa hora, nós precisamos recorrer aos nossos parceiros comerciais que têm experiência nesse tipo de instalação”

A altura das sete torres instaladas foi um fator determinante para a escolha das luminárias. Foram instalados 56 projetores LED de 480W cada, sendo 14 unidades com 25° de abertura de lente, o que garante um facho de luz mais concentrado, e 42 unidades com 40° de abertura, proporcionando uma maior amplitude de iluminação.

Para chegar a essa determinação, o projeto luminotécnico considerou as normas regulamentadoras, além do cuidado para evitar áreas de contraste mesmo quando o pátio estiver em sua capacidade máxima de operação.

“Como as torres são de metal, foi preciso montar uma estrutura de para-raios eficiente e moderna para prevenir acidentes causados por descargas elétricas”, pontua Cricci.

Como a área é destinada a manobras, todo o sistema de alimentação precisou ser subterrâneo para facilitar o fluxo de contêineres. Já no local de carga e descarga, a alimentação foi desenvolvida por via aérea, como as tradicionais iluminações públicas.

Um outro aspecto que precisou de atenção especial foi o comprometimento e certificação com as práticas mais modernas na área de segurança do trabalho, um fator determinante para a escolha de fornecedores pela Brado.

Iluminação, eficiência e sustentabilidade

Como o projeto trouxe muitos aspectos e instalações novas, não é possível determinar o cálculo de payback do terminal em relação às luminárias antigas. Porém, segundo Ricardo Cricci, a expectativa é que, além de melhorar a visibilidade, o novo sistema implantado gere uma economia de 58% do consumo se comparado com o mesmo sistema de iluminação tradicional equivalente.

Se o número já é relevante por si só, quando relacionado à durabilidade, ele ganha ainda mais relevância. A estimativa de vida útil para os projetores LED selecionados é de 78 mil horas de uso. “Seriam, aproximadamente, 17 anos, levando em consideração 12 horas de uso diário”, calcula o especialista. “Isso é fundamental, principalmente, pela dificuldade de manutenção de uma luminária a 35 metros do solo.”

Porém, quando o assunto é economia, o destaque fica por conta de uma outra instalação do terminal: a área que dá acesso ao pátio de armazenamento, que recebeu cinco postes autônomos. No topo de cada um, as luminárias Square Eco de 100W são alimentadas por meio das baterias carregadas diretamente pelas placas solares instaladas.

A solução, desenvolvida exclusivamente pela Celena para o complexo, aposta na sustentabilidade e automação para oferecer uma iluminação do futuro. A bateria de cada um dos postes autônomos têm autonomia para até 36 horas de uso sem recarga. Além disso, as luminárias são programadas para ligarem e desligarem sozinhas em um determinado horário.

Ao somar todas as instalações, a Brado recebeu mais do que um projeto de iluminação adequado para a sua operação. Na verdade, o processo, que começou em maio e foi finalizado em outubro de 2018, trouxe um novo padrão de eficiência, tecnologia e sustentabilidade.

“Acreditamos até que eles podem concorrer a um prêmio de sustentabilidade pelas novas instalações”, finaliza Ricardo Cricci. “Foi o projeto mais difícil que eu acompanhei, mas, quando vejo o resultado, valeu a pena todo o esforço”.  

 

Sumaré-SP

São Paulo

Projeto:

Produto(s):

Projetor Modular - 300w

Projetor Modular - 480w

Square ECO - 100w

Fotografia:


Golden